quinta-feira, 27 de março de 2014

Rosas e espinhos;

Por você, acreditei na esperança;
Esperei por dias, feito criança.
Por você, ouvi Roberto Carlos;
Pensei que fossemos os últimos românticos;
Por você, aceitei os seus piores erros;
Amei os seus melhores defeitos;
Idealizei novos sonhos;
Por você, escutei Sorriso Maroto;
Pensava que fossemos uma guerra fria;
Por você, aceitei a vida como ela é.
Por você, te dedico meus textos;
Escrevi milhões de poesias, dentro de mim.
Por você, te dei até mesmo, o que ninguém me deu.
Abri meu coração e te guardei no lugar mais precioso;
Por você, te amei.
Por você, ainda te amo...


(Lasfribeiro)

Amanhã de manhã;



"Palavras jogadas ao vento, sentimento despertado e desperdiçado.
Me pergunto onde deixou tudo aquilo, nossa felicidade, sinceridade, nosso carinho.
Não sei se ao menos se lembra, mas tudo está guardado dentro do meu coração.
Não sei se me ama, ou me amou.
Mas amanhã de manhã eu ainda irei te amar."

 (Lasfribeiro)

Tão clichê!

"Me acostumei tanto com tua presença, que sem você parece até mesmo que não existo.
Tão clichê! Essa existência não vivida, os pés não estão no chão e minha cabeça anda tão no ar.
Tão clichê! Sua falta, me faz ver que preciso de sua presença, sem ela até eu mesma, me faço falta."

 (Lasfribeiro)

domingo, 28 de julho de 2013

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Quão grandes conflitos.

"Somos pedaços de papéis, que se rasgaram e com o vento assim voou. Migrou de um lado para o outro, de uma imensidão para outra.
Somos dois rios que se separam, que se afastam como óleo e água.
Você é estrela que brilha durante a estadia do meu sol, e eu sou o avesso do seu lado correto. 
E passam dias, passam horas, somos também pedaços de um mesmo papel, água e óleo do mesmo rio, sol e estrela do mesmo céu, lados corretos e incorretos de um mesmo ser, de um mesmo pensar, um mesmo sentir.
Tudo diferente, que não se completa, que não se arranja. Grandes sofrimentos em momentos tão infelizes, grandes palavras para sentimentos tão pequenos.
Tudo tão igual, que se completa, que se arranja. Pequenos sofrimentos em momentos tão felizes, pequenas palavras para sentimentos tão imensos.
Quão grandes conflitos."

(Lasfribeiro)

terça-feira, 2 de julho de 2013

Tem que ter por quê?


"Escrevo. E pronto.
Escrevo porque preciso,
preciso porque estou tonto.
ninguém tem nada com isso.
Escrevo porque amanhece,
e as estrelas lá no céu
lembram letras de papel,
quando o poema me anoitece.
A aranha tece teias.
O peixe beija e morde o que vê.
Eu escrevo apenas.
Tem que ter por quê?"

Paulo Leminski

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Necessidade de palavras,


"Quando vieres a me ler perguntarás por que não me restrinjo à pintura e às minhas exposições, já que
escrevo tosco e sem ordem. É que agora sinto necessidade de palavras - e é novo pra mim o que escrevo porque minha verdadeira palavra foi até agora intocada. A palavra é a minha quarta dimensão."

Clarice Lispector.

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Boucing Red Bow Tie Ribbon